Guedes e Bolsonaro: tema de novo imposto voltou ao centro das discussões por causa do projeto da reforma tributária, que deve ser enviado ao Congresso Nacional na semana que vem (Adriano Machado/Reuters)

Incompetência do governo eleva juros e compromete retomada*

Impactos da recessão sobre as contas públicas assustam o mercado Por José Francisco Lima Gonçalves, professor de Economia da FEA-USP e economista-chefe do Banco Fator. *Texto reproduzido originalmente na Folha de São Paulo. A incompetência do governo face à complexa situação acrescenta gravidade à trajetória presente desde antes da pandemia. Segundo o IBGE, a contração já ocorria no primeiro trimestre de 2020. Caminhávamos para o … Continuar lendo Incompetência do governo eleva juros e compromete retomada*

Filas em agências da Caixa no Recife - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Programas de renda: entre renda mínima e renda universal, o Brasil na encruzilhada[1]

Lena Lavinas, Professora do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Eliane Araújo, Professora da Universidade Estadual de Maringá e pesquisadora do CNPQ. Antes Desde março de 2020, quando bate à porta uma crise sanitária sem precedentes, um frenesi em torno da ideia de garantia de uma renda básica toma conta da sociedade brasileira, mobilizando opinião pública, especialistas, congressistas, policymakers, quadros do … Continuar lendo Programas de renda: entre renda mínima e renda universal, o Brasil na encruzilhada[1]

Sobre estrutura, desigualdade, a crise e uma terceira margem

Por Débora Freire Professora e Pesquisadora do Cedeplar/UFMG O Brasil é uma das economias mais desiguais do mundo. Segundo dados da Pesquisa Desigualdade Mundial 2018, liderada por Thomas Piketty, 27,8% da renda no Brasil é apropriada pelo 1% mais rico. Os 10% mais ricos apropriam 55% da renda gerada no país. É muita coisa. Diante de tanta desigualdade, uma pergunta frequente é: porque a renda … Continuar lendo Sobre estrutura, desigualdade, a crise e uma terceira margem

COVID-19 e o “pecado original redux”

Por Luiz Fernando de Paula, Barbara Fritz e Daniela Prates A pandemia do COVID-19 levou a uma forte reversão da terceira onda de fluxos de capitais para as economias emergentes (EMs) na fase de globalização financeira. Pode-se, grosso modo, identificar três ondas principais desde a década de 1990, quando as EMs passam a se inserir nesta fase: a primeira começa no início e termina no … Continuar lendo COVID-19 e o “pecado original redux”

SOBRE PASSADOS, RIQUEZAS E ARROZES: Machado de Assis e o Sermão breve do Diabo.

Por Paulo Henrique Rodrigues Pereira* Um dos aspectos mais interessantes da descrença aos saberes – tão típica do nosso tempo – é a de uma certa desconfiança sobre o passado. Os olhares pouco atentos acham que os ataques são aos historiadores, seus livros, suas teses. Nada disso, é ao passado mesmo. Na verdade, é uma tarefa necessária. De tempos em tempos, as soluções fáceis sobre … Continuar lendo SOBRE PASSADOS, RIQUEZAS E ARROZES: Machado de Assis e o Sermão breve do Diabo.

Indústria brasileira só é mais competitiva do que a da Argentina — Foto: Pexels

As mentiras sobre as razões da alta dos preços e a importância da desvalorização do câmbio para a reindustrialização do Brasil

Por Gabriel Cassiano Nas últimas semanas tenho feito várias críticas à “Teoria Quantitativa da Moeda”, formulada por Irving Fischer e consolidada no monetarismo de Milton Friedman, ainda na década de 1970, que foi a base da contribuição da escola de Chicago para o desenvolvimento posterior do neoliberalismo, supostamente tendo superado os  “equívocos de Keynes” e elencando os pilares para as políticas econômicas que passaram a … Continuar lendo As mentiras sobre as razões da alta dos preços e a importância da desvalorização do câmbio para a reindustrialização do Brasil

Desenvolvimentismo não é gastança

Nelson Marconi Desenvolvimento, segundo o Aurélio, “é o estágio econômico, social e político de uma comunidade, caracterizado por altos índices de rendimento dos fatores de produção. i.e., os recursos naturais, o capital e o trabalho”. Daí deduz-se que uma teoria desenvolvimentista, e políticas assim intituladas, estão preocupadas com essas questões. Uma vez que essa é uma definição de dicionário, meus colegas economistas dirão que todos … Continuar lendo Desenvolvimentismo não é gastança

Sobre o PIB: é possível voltar a crescer com essa estrutura produtiva?

Por Nelson Marconi O PIB do terceiro trimestre veio, como todos esperávamos, despencando. Muita gente acreditava que a intensidade da recessão tinha amenizado no final em junho, mas a queda veio forte. Na verdade, só não foi maior por dois motivos: porque o auxílio emergencial evitou uma queda maior na renda de boa parte da população e as exportações de commodities (agropecuária e petróleo) também … Continuar lendo Sobre o PIB: é possível voltar a crescer com essa estrutura produtiva?

Teto de Gastos: o desencontro do “mercado” com velhos aliados

Tiago Couto Porto A conjuntura política e econômica atual reacendeu o debate em torno dos problemas e da viabilidade do Teto de Gastos. No novo contexto, o ‘mercado’ e seus economistas estão se confrontando, não apenas com seus comuns adversários, mas também, com velhos aliados. Além das críticas de economistas heterodoxos (que serão apresentadas ao longo do texto), os movimentos para prorrogar o auxílio emergencial, … Continuar lendo Teto de Gastos: o desencontro do “mercado” com velhos aliados

Rebaixar o piso dos gastos públicos é elevar a desigualdade

João P. Romero e Débora Freire – Professores do Cedeplar-UFMG. No último 16 de agosto um grupo de economistas publicou artigo defendendo juntar as PECs 186 e 188 e acelerar sua tramitação. As PECs tornariam viável “rebaixar o piso” dos gastos do governo, e assim sustentar o Teto de Gastos por mais alguns anos. Para eles, manter o Teto é o único caminho para reequilibrar … Continuar lendo Rebaixar o piso dos gastos públicos é elevar a desigualdade